quarta-feira, 30 de Julho de 2014

MÃE

Um dia a Carminho vai olhar para o quadro que tem na parede do quarto e vai saber que Ela não foi uma Mãe como as outras.



terça-feira, 29 de Julho de 2014

Memórias de um tempo recente

Os dias de praia que passámos no sítio do costume já vão longe, mas a tecnologia ajuda-me a reavivar as memórias que eles me deixaram. Olho para as fotografias e quase consigo sentir a areia nas mãos e o sal na boca.




sexta-feira, 4 de Julho de 2014

A Oriente

Não há sítio que mais deseje conhecer que o Japão. Tudo me atrai naquele país, o exotismo, a comida, os padrões... A minha mãe diz que quero conhecer tudo (é verdade!), mas há sítios mais especiais que outros.
Na senda desta paixão pelo Japão, pensava fazer um quimono há bastante tempo, até que encontrei um tecido que parecia ter sido feito de propósito para aquilo que imaginava. Está feito e daqui a pouco começa a andar sozinho de tanto que o tenho usado!


terça-feira, 17 de Junho de 2014

Chapéus há muitos, mas este é meu

O chapéu-panamá (também grafado sem o hífen) é um chapéu que, apesar do nome, é fabricado no Equador (onde é chamado de El Fino), especialmente em Cuenca e Montecristi.
Possui cor clara e pode ter vários formatos. É fabricado com a palha da planta Carludovica palmata, encontrada no Equador e em países vizinhos, e tecida em trama fechada.
Já foi dito que recebeu este nome porque o presidente estadunidense Theodore Roosevelt usou-o durante uma visita ao canal do Panamá, em 1906.2 Em razão disso, chapéu tornou-se moda, principalmente para homens, até a Segunda Guerra Mundial. Contudo, o Dicionário Oxford registra que esse termo é usado desde pelo menos 1834.
Inicialmente era um produto exclusivamente masculino. Ainda hoje o chapéu é utilizado no verão, tanto por homens como por mulheres. Por vezes simboliza o ambiente praieiro tropical.” – Wikipédia

Tinha um panamá e muitas ideias para ele. Acabei por me ficar pela substituição da original fita preta e pela personalização da nova fita cor-de-rosa com as minhas iniciais. Farei outros, assim que o sol volte!



segunda-feira, 9 de Junho de 2014

Fazer uma festa com as mãos e com o coração

Recentemente falei-vos deste meu novo interesse, mas a festa do Simão foi mais do que um simples bolo decorado por mim.
Fez um pedido para a festa: elefantes!  Toca a desenhar, cortar, colar, cozinhar, decorar, colher flores do jardim... toca a pedir bolo de cenoura com amêndoa e doce de ovos a uma avó e caril à outra avó... Começou à hora marcada e foi uma verdadeira festa homemade.






quarta-feira, 4 de Junho de 2014

Testes para o bolo de aniversário

Tenho uma mente impaciente e umas mãos inquietas, não consigo combater esta permamente necessidade de testar os meus limites. Será que há limites para a nossa capacidade de criar? Quero acreditar que não e que a expressão “não consigo” é um obstáculo inventado por cada um de nós.
Sempre tive vontade de me atrever na decoração de bolos. Queria muito ser capaz de concretizar aquilo que o S. imaginava para o bolo do seu terceiro aniversário. Agora que essa data está quase a chegar, em vez de perder mais tempo, fui à Arteirices Gulosas e muni-me daquilo que precisava para começar. Nesse mesmo dia comecei!
O F. estava quase a nascer e teve direito a um bolo de requeijão especialmente decorado para ele. Embora ainda não me tenha iniciado na modelagem de figuras a três dimensões, já fui capaz de fazer numa cobertura lisa, tal como queria.
Ah, já me esquecia de acrescentar que o S. não aguentou ver o bolo tão perfeitinho e furou-o antes dele ser apresentado aos pais do F.! Foi uma boa surpresa na mesma!


terça-feira, 27 de Maio de 2014

Tempo para tudo

Os fins-de-semana são o momento mais aguardado, são tempo para estarmos com quem mais nos diz e para fazermos o que mais gostamos. São o momento para celebrar a vida e tudo aquilo que ela tem de melhor. Os últimos têm trazido flores, fruta fresca, baloiços e mimo. Que mais se pode querer?




Também têm trazido celebrações. O crisma de uma miúda querida, por exemplo. Houve presente especialmente pensado e feito para ela, cuja cor preferida é o turqueza.